sexta-feira, 6 de maio de 2016

Páscoa VI domingo - Dia da Mãe

Celebrámos neste sábado o 6º. Domingo da Páscoa neste domingo, em que celebramos o Dia da Mãe.  
Rezámos por todas as mães, para que sintam alegria pelo dom da vida, e continuem a ser para nós, sinal do amor de Jesus.





Mãe, é quem educa e ajuda a crescer, é alguém que está sempre pronta a acolher, a ajudar e a consolar … Inspiramo-nos na nossa Mãe do Céu, Ela protege-nos e é para nós um exemplo a seguir…

Mãe, gosto de ti,
Não por seres uma mãe
Extraordinária,
Mas um ser humano
Que fala a minha linguagem,
E é capaz 
De penetrar no meu mundo
E no meu coração.
Dás-me o que o mundo não consegue:
O teu Ser, a tua história,
As tuas experiências, o teu tempo.
Amo-te Mãe!
Com um amor infinito,
És aquela que me aponta
Caminhos de Luz! 

Fotos: Zé Nuno Gaspar




terça-feira, 12 de abril de 2016

Páscoa III domingo - Festa da Esperança

Celebrámos o terceiro domingo de Páscoa e também o terceiro encontro de Jesus Ressuscitado, com os seus discípulos.
Todos nos sentimos bem-vindos! Mas foi com renovada alegria, que acolhemos os meninos e meninas do 5º. ano da catequese recebendo deles, um olhar de alegria e de Esperança, que comunicava a boa notícia: Jesus está Vivo e está no meio de nós! 

Foi assim que eles se expressaram no início da celebração:




Fotos: Zé Nuno Gaspar

sábado, 19 de março de 2016

A paixão de Jesus

A paixão de Jesus

APRESENTAÇÃO

Leitora - Os jovens do 10º ano da catequese prepararam uma breve encenação da Paixão.

A Paixão de Jesus continua a fala-nos de assuntos importantes do nosso tempo, como o sofrimento, a injustiça, a dignidade humana pisada, a morte…

Convidamos vos, então, a acompanhar Jesus na sua Paixão, sentir com Ele e a refletir sobre as nossas escolhas, as grandes e as de todos os dias.

CENA 1: JUDAS E CAIFÁS

(A Igreja está decorada com os símbolos da paixão: ramos de oliveira, …
No centro, e de costas para a Assembleia, encontra-se Judas ( com ar perdido)

1º Leitor – Judas cometeu um erro tão grande! Sente-se dececionado. Não era este o tipo de Messias é que ele esperava. Não vê que a proposta de Jesus é muito mais profunda e verdadeira que a violência e o ódio. É vítima da sua própria cegueira.

(Judas reage, negativamente, com gestos, à voz da consciência, depois afasta-se para a sala de Santo Inácio - Caifás aproxima-se…caminha de um lado para outro frente à Assembleia)

2º Leitor - O que é que se passa, Caifás? Por que é que estás tão zangado com Jesus? Por que é que vais forçar Pilatos a condená-Lo? Por que te sentes tão ameaçado?
Caifás já não tem a certeza de nada. Este Jesus não fala a mesma linguagem dos fariseus. O Deus que Ele propõe não é uma lei, é Pai, é Amor. Fala de perdão e não de castigo. Não separa puros e impuros, mas acolhe a todos. Jesus é uma ameaça para as suas certezas!

(Caifás vai acompanhando a voz com os gestos correspondentes, depois sai a correr para o lado dos confessionários)

Coro canta: (Cântico de Taizé)                    
                        Senhor, Jesus, Tu és a luz
                       Dissipa as trevas que me querem falar,
                       Senhor, Jesus, és luz em minh’alma

                       Possa eu acolher o teu amor

CENA 2 – JESUS NO JARDIM DAS OLIVEIRAS

(À esquerda do altar, frente ao coro, formara-se um pequeno jardim das oliveiras que tapava Jesus e os discípulos. Jesus está de joelhos a rezar ao Pai. Os três discípulos dormem)

Leitor 1 – (pausadamente) Jesus está no Jardim das Oliveiras. Levou com Ele Pedro, Tiago e João. O Seu coração está numa tristeza de morte. Ele sabe que os grandes deste mundo se aliaram para o condenar.
Porque é que Ele não luta contra os seus adversários?

Leitor 2 -  Ele  não quer  usar a força nem a violência para combater o mal. Não são essas as armas de Jesus. Isso seria negar tudo o que defendeu estes anos todos!

Leitor 1- Mas podia, pelos menos, fugir do sofrimento e da morte?

Leitor 2 –  E os Homens podem?  Então, Ele também não vai fugir. Ele quer ficar com eles até ao fim. Dando a vida por eles, quer mostrar-lhes que, seja qual for a situação em que os homens se encontrarem, Ele estará com eles. É isto o amor.

(Jesus levanta-se, vai ter com os discípulos e tenta acordá-los, mas estes voltam-se para o outro lado e continuam a dormir.)
O coro canta (Cântico de Taizé)
                               “Stay with me”
Jesus – Pai, se for possível afasta de mim este cálice, contudo faça-se a Tua vontade e não a minha.

PRISÃO DE JESUS 

(Da sala de Santo Inácio, saem vários soldados e Judas. Este beija Jesus e os soldados levam-no preso. Os discípulos fogem. Jesus e os soldados saem pela porta ao lado dos confessionários)

CENA 3 - PEDRO CHORA AMARGAMENTE

(Pedro que se escondera atrás de uma oliveira, por exemplo, regressa, põe as mãos à frente do rosto e chora amargamente).

Leitor 1 - Pobre Pedro, esta noite negou três vezes Jesus. Ele que dizia que O seguiria para todo o lado, compreende agora que não é o melhor nem o maior dos discípulos.

É frágil, limitado e está com medo. Tem que crescer no conhecimento e confiança de Jesus.

Pedro, Pedro, não caias em desânimo, o Senhor conhece a tua fraqueza, mas é sobre ela que edificará a sua Igreja. Levanta-te, Pedro, o Senhor já te perdoou. Ele continua a contar contigo.

(Pedro, que estava de joelhos, levanta-se e sai.)
Coro canta – Misericordias Domini / in aeterno cantabo
(Este cântico irá acompanhar todo o percurso de Cristo, desde o momento em que Jesus aparece ao  fundo da Igreja até ao altar)

CENA 4 - A CAMINHO DO CALVÁRIO

Jesus aparece ao fundo da Igreja com a cruz e a coroa de espinhos.

O coro continua a cantar “Misericordias Domini / in aeterno cantabo”

Jesus é seguido pelos soldados romanos, pelas Santas Mulheres e por S. João.
Percorre o corredor central e cai a meio. Aproxima- se Verónica e limpa-Lhe o rosto.  Integra depois o “cortejo”.

Jesus cai pela segunda vez e os soldados obrigam Simão Cireneu, que vinha do campo transportando um sacho, a ajudar Jesus a carregar a cruz.

Chegados ao Altar (= calvário), Jesus é pregado na cruz.

Catequista – Aos pés de Jesus, estão Sua mãe,  a irmã de Sua mãe,  Maria Madalena e o discípulo predileto.  Desafiam o medo, os soldados, para não O deixar morrer só, na cruz, sem um rosto conhecido. (pausa)

A mãe de Jesus é a dor encarnada. Tem o coração dilacerado. Sentiu cada ferimento de Jesus como sendo seu. Mas, permanece unida a Ele até ao fim.

Jesus – Pai perdoai-lhes, que não sabem o que fazem. (Ouve-se o som dum trovão e apagam-se parcialmente as luzes)

Coro canta – Ninguém te ama como Eu (bis)
                         Olha para a cruz é a minha maior prova
                         Ninguém te ama como Eu
     
CENA 5 - JESUS RESSUSCITOU

(Enquanto o coro canta, “Ninguém te ama como Eu, Jesus é descido da cruz e colocado na “sepultura”, debaixo do altar.)

Depois, os soldados e as Santas Mulheres afastam-se.
As Santas Mulheres regressam posteriormente, trazendo vasos. Levantam a pedra do sepulcro (= toalha do altar) e mostram um ar surpreendido.

Aparece, então, o Anjo que lhes diz:

Anjo – Jesus já não está aqui, ressuscitou! Está vivo no meio de nós!























(Catequizados do 10º. ano com as catequistas: Maria José Soares, Regina Conceição, José Nave, Margarida Duarte e Daniel Silveira)

Fotos: Zé Nuno Gaspar

Celebração de Ramos com Catequese


Na Semana Santa, que hoje começou, recordámos com a esta celebração a Última Ceia, a Paixão e Morte de Jesus na Cruz. Convidámos os nossos catequizandos viver estes dias participando nas celebrações da Paróquia. Será uma forma de acompanhar Jesus na sua entrega de amor por nós, para nos fazer viver no seu amor. Esta Semana é aquela que mais nos faz experimentar a misericórdia de Deus!
Contemplando Jesus que, na cruz, antes de morrer por nós, é ainda capaz de pedir ao Pai que perdoe aos que O estavam a crucificar, faz-nos perceber como Deus tem paciência connosco e com os nossos pecados... Ele está sempre pronto a tudo fazer para termos a sua Vida. 
Colocámos no nosso caminho o sinal de trânsito “suportar com paciência as fraquezas do próximo”.
Por ser o dia de S. José, dia do Pai, todos os pais presentes receberam uma bênção para esse dia.  





 


 

 

 

  

 




Fotos: Zé Nuno Gaspar